Projetos Cursos e Eventos Pesquisas e Publicações Redes e Parcerias

Canal de Videos


Campanhas

 

 

Redes Sociais

Acompanhe-nos no Facebook:

 

facebook Perfil Institucional

 

facebook Taramandahy - Fase II

 

07/08/2014

Projeto Taramandahy - FASE II

Agentes e voluntários de Defesa Civil praticam Técnicas Verticais em Maquiné

A ideia de fortalecer agentes e voluntários da Defesa Civil na Bacia do Rio Tramandaí está sendo posta em prática em Maquiné/RS pelo Projeto Taramandahy – Fase II, com o patrocínio da Petrobras, através do Programa Petrobras Socioambiental. O município que sofreu recentemente com enchentes e deslizamentos, passou a receber investimentos em ações de prevenção, mitigação, preparação, resposta e recuperação voltadas à proteção e defesa civil. O Programa Petrobras Socioambiental possibilitou que esse tipo de ação seja praticada e integrada a outras, de conservação dos recursos hídricos, do solo e da floresta. Efetivamente, o Grupo Voluntário de Busca e Salvamento e Núcleo de Defesa Civil de Maquiné (GVBS/NUDEC) está se fortalecendo localmente.


O sol brilhou forte dissipando o frio de sábado, 26 de julho, durante a formação em técnicas verticais e trabalho em altura.  O encontro apresentou uma amostragem de técnicas de utilização, cuidados e manutenção dos equipamentos, nós e amarrações, além de ancoragens e prevenção de acidentes em subidas e descidas. Participaram cerca de trinta pessoas da comunidade, sitiantes, agentes de defesa civil e estudantes da Bacia do Rio Tramandaí e arredores. O grupo fez a prática de descida na torre da Pousada Refúgio Verde e um rapel na Cascata do Garapiá, sob a orientação dos voluntários do GVBS/NUDEC Alexandre Frantz e Vicente Wolff, juntamente com o resgatista profissional Jonas Batista Schilling, reconhecido internacionalmente por seu trabalho. Durante o rapel, cada participante pôde constatar a qualidade da orientação, bem como do equipamento utilizado pelo GVBS e adquirido pelo Projeto. Jonas chamou a atenção para a importância do trabalho voluntário e do trabalho em grupo para a defesa civil local.

 


Os próximos encontros do curso de Proteção e Defesa Civil de Maquiné preveem treinamentos para atendimento pré-hospitalar (APH), resgate em altura, resgate veicular, busca e resgate em matas, prevenção e combate a incêndio e primeiros socorros em áreas remotas.

 

Vicente Wolff é membro da equipe do Projeto Taramandahy – Fase II e a pessoa à frente da capacitação de agentes e voluntários do GVBS/NUDEC-Maquiné. Ele reafirma que ações de proteção e defesa civil - que constituem prevenção, mitigação, preparação, resposta e recuperação, destinadas a evitar e/ou minimizar seus impactos para a população e restabelecer a normalidade social - são importantes em todas as esferas: federal, estadual, municipal e comunitária, pois reduz perdas humanas e danos materiais. A seguir, Wolff comenta a importância dos órgãos de Defesa Civil e sobre a atuação na Região com o GVBS/Nudec e o Projeto Taramandahy – Fase II, patrocinado pela Petrobras, através do Programa Petrobras Socioambiental.

 

O que é e como se formou o GVBS/NUDEC?
Vicente Wolff: O GVBS - Grupo Voluntário de Busca e Salvamento - é um Núcleo Comunitário de Proteção e Defesa Civil (NUDEC), e de acordo com a Lei Federal N.12608, faz parte do SINDEC- Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil. Este Sistema é constituído pelos órgãos da administração pública federal, dos Estados, dos municípios e por entidades públicas e privadas de atuação significativa na área de proteção e defesa civil.
O GVBS surgiu em 2009, durante o Curso de Condutores Locais de Ecoturismo de Maquiné, realizado pelo Projeto de Ecoturismo da Anama*, com o objetivo principal de trabalhar conscientização e prevenção de acidentes da comunidade local e do público turístico que circula no município. Outro importante objetivo é estar preparado e eventualmente atuar na primeira resposta em caso de acidentes, dando a primeira resposta a vítimas, até a chegada de socorro especializado.
Em 2009, nosso Grupo deu um salto, com apoio da primeira fase do Projeto Taramandahy, patrocinado pela Petrobras, através do então Programa Petrobras Ambiental. Nesse momento, adquirimos equipamentos como rádios, e EPIs (Equipamentos de Proteção Individual), além de capacitar voluntários e comunidade em radioamadorismo, orientação, primeiros socorros e técnicas verticais e ainda, realizamos algumas simulações. Agora, com do Projeto Taramandahy-fase II, patrocinado pela Petrobras, através do Programa Petrobras Socioambiental, estamos dando continuidade a nossa capacitação e reaparelhamento. Já tivemos capacitação em Proteção e Defesa Civil e em Técnicas Verticais e Trabalho em Altura. Até o ano de 2015, realizaremos cursos de Atendimento Pré-Hospitalar, Primeiros Socorros em Áreas Remotas, Prevenção e Combate à Incêndio, Resgate em Altura, Resgate Veicular e Busca e Resgate, todos gratuitos e abertos à comunidade.

 

Quantos voluntários fazem parte desse Grupo?
Vicente Wolff: É difícil saber o número exato de voluntários, pois cada pessoa, ao participar dos cursos, cada pessoa da comunidade a ajudar, tanto na prevenção de acidentes, quanto doando algum material, se torna nosso voluntário. Temos em torno de vinte voluntários mais ativos, de diversas áreas. Também temos o voluntariado da comunidade, doando material ou cedendo uma sala para nossa sede. Nosso lema, nesse sentido, é: “Todos podem precisar, todos podem participar”.

 

Como está a Defesa Civil em Maquiné?
Vicente Wolff: Em Maquiné, a Defesa Civil está muito desatualizada, desde a Lei N.12608 o município tem uma série de atribuições e obrigações, como identificar e mapear áreas de risco, realizar exercícios simulados, confeccionar o Plano de Contingência, promover treinamentos e capacitações de voluntários, incluir este assunto no currículo escolar, entre outras. E executar a recuperação de áreas atingidas por desastres. Ainda hoje, há pontes danificadas desde as tragédias de 2008, e estamos com pontes condenadas aonde circulam ônibus escolar diariamente. É uma situação de alto risco para a população.

 

Qual seria a solução?
Vicente Wolff: Cumprir as atribuições que estão previstas na LF 12608, realizar reuniões, articular com o estado e União. Está tudo previsto na Lei Federal N. 12608. Agora é só trabalhar.

 

* Projeto de Desenvolvimento Ecoturístico de Maquiné (2006-2009), apoiado pelo MMA (Ministério do Meio Ambiente), através do Subprograma Projetos Demonstrativos (PDA).

 

 

>> VEJA A GALERIA DE IMAGENS COMPLETA

 

Anaiara Ventura - Assessoria de Imprensa

Jornalista MTB/RS: 15155

 

Fotografia: Luciene Antunes e acervo Anama

 

 


 

 

:: VOLTAR PARA LISTA GERAL DE NOTÍCIAS

 

Ong ANAMA - RS - BRASIL| Todos os direitos reservados
   

Quem Somos

Área de Atuação
Onde Estamos
Equipe de Trabalho
Prêmios e Reconhecimentos

A Mata Atlântica

Localização
Ecossistemas
Relevância
Importância de Maquiné

Galeria de Fotos
Notícias
Contato
Mapa do Site
 

Ong Anama

 

contato@onganama.org.br
         

Criação e desenvolvimento: STA Studio | Hospedado por Median Host